'Sem indícios de violência', casal de agricultores é achado morto com menos de 24h de diferença em SC

  • 23/05/2024
(Foto: Reprodução)
Primeira morte ocorreu no domingo, em Itaiópolis, e foi tratada como natural. No dia seguinte, houve o 2º óbito. Sequência despertou suspeita da Polícia Civil, que abriu investigação. Corpos de Ângela e Gerônimo foram encontrados em Itaiópolis com um dia de diferença Polícia Civil/ Divulgação Em apenas 24 horas, dois corpos foram encontrados na mesma casa em Itaiópolis, município de 22 mil habitantes no Norte de Santa Catarina. 'Sem indícios de violência', segundo a Polícia Civil, as mortes ainda sem explicação são investigadas, de acordo com o delegado Eduardo Borges. A primeira morte, de Ângela Maria Kazmierczak Partala, ocorreu no domingo (19), e inicialmente foi tratada como natural. Na segunda-feira (20), após o corpo de Gerônimo Kosmala ser encontrado na cama da residência, na localidade de Paraguaçu, a polícia foi chamada e abriu um inquérito. ✅Clique e siga o canal do g1 SC no WhatsApp Veja abaixo o que se sabe e o que falta saber sobre o caso: 1. Qual era a relação das vítimas? Segundo o delegado Eduardo Borges, da Divisão de Investigações Criminais (DIC), a suspeita é a de que as vítimas estivessem em um relacionamento amoroso. Conforme o investigador, Ângela estava há alguns dias na casa de Gerônimo. Os dois tinham filhos de outros relacionamentos. Ângela Maria Kazmierczak Partala morreu em Itaiópolis Redes sociais/ Reprodução 2. Qual a linha de investigação da polícia? A Polícia Civil informou que aguarda o resultado de exames toxocológicos para definir a linha de investigação. Durante as perícias feitas na residência, conforme o delegado, nada aparentemente anormal foi encontrado. 3. Quem morava na residência? Além de Gerônimo, uma sobrinha do homem também morava no endereço, de acordo com o delegado. Inicialmente, conforme a investigação, ela não é considerada suspeita. 4. Como era a cena da ocorrência? Não havia indícios de violência na residência, uma casa simples, nem nos corpos das vítimas, segundo a Polícia Civil. Inicialmente, a morte de Ângela era tratada como natural, mas os casos passaram a ser investigados após Gerônimo morrer em circunstâncias parecidas, no dia seguinte, no mesmo local. "Quando ela faleceu, foi tratado como morte natural. O médico acionou o IGP e não foram realizadas diligências", informou Borges. 5. O que as vítimas faziam? Ângela e Gerônimo Kosmala eram agricultores. ✅Clique e siga o canal do g1 SC no WhatsApp VÍDEOS: mais assistidos do g1 SC nos últimos 7 dias

FONTE: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2024/05/23/sem-indicios-de-violencia-casal-de-agricultores-e-achado-morto-com-menos-de-24h-de-diferenca-em-sc.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes