Entenda como a IA pode transformar o agronegócio

  • 23/05/2024
(Foto: Reprodução)
Robôs, sensores e drones permitem que o agronegócio tenha mais precisão A era da inteligência artificial (IA) chegou, e com ela, diversas áreas produtivas têm sido transformadas através das novas tecnologias. Os investimentos estão só começando, e de acordo com uma pesquisa do IDC Worldwide Artificial Intelligence Spending Guide, os gastos globais com o desenvolvimento de software, hardware e serviços para sistemas centrados em IA devem ultrapassar os US$ 300 bilhões até 2026. Um dos segmentos que têm recebido esses investimentos é o agronegócio, que está se tornando cada vez mais preciso e tecnológico. Por meio de algoritmos avançados e soluções inovadoras para a análise de dados, a IA auxilia os agricultores na tomada de decisões precisas, que envolvem desde o monitoramento do clima e do solo até a gestão da colheita e da cadeia de suprimentos. Sensores remotos, drones e outros dispositivos fornecem dados em tempo real, o que permite a aplicação de uma agricultura de precisão, que reduz o desperdício. As novas tecnologias estão contribuindo para a sustentabilidade e a segurança alimentar, tornando o agronegócio mais inteligente, eficiente e sustentável. IA no agronegócio A inteligência artificial é um conceito em ascensão, e segundo a Oracle, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, ela pode ser definida através do uso de sistemas e máquinas que imitam a inteligência humana. Esses equipamentos e sistemas são programados para coletar e interpretar dados, indicar soluções e efetuar tarefas. Essa tecnologia tem contribuído para aumentar a produtividade humana em várias esferas, inclusive, no campo. Através da aplicação da IA no campo, é possível transformar completamente a operação das propriedades rurais. É o que explica Valder Zacarkim, diretor da AgTech, Vertical de Agronegócios da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE). Segundo ele, a agricultura de precisão já tem contribuído para reduzir custos e ganhar eficiência, mas no futuro, será fundamental para a tomada de decisões no segmento agro em sua totalidade. "A IA já é aplicada no campo através de sensores inteligentes, GPS, softwares agrícolas, câmeras de campo, drones, veículos autônomos e plataformas digitais. Todos eles acabam abarcando, em algum nível, a utilização de inteligência artificial para poder tomar decisão e dar mais autonomia à solução tecnológica", reforça. Iniciativas em Santa Catarina Esse cenário já é uma realidade nas propriedades brasileiras. Segundo uma pesquisa da Secretaria Executiva da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), a tecnologia já está presente em cerca de 67% das propriedades agrícolas do Brasil. Entre os recursos utilizados, estão sistemas para a facilitar a área de gestão dos negócios, atividades de cultivo e colheita da produção. A agricultura de precisão já está presente em diversos estados do país, e segundo a CBAP, Santa Catarina é uma das regiões em que o uso dessa tecnologia mais cresce — junto com outros estados da região Centro-Sul, a exemplo do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A meta do governo brasileiro é de que, nos próximos anos, seja possível fazer um levantamento completo sobre a temática no Brasil. Santa Catarina é, também, um estado de destaque tecnológico, com quase duas mil empresas no formato de Startup, conforme dados da Startup Report Santa Catarina 2023, relatório de plataforma do Sebrae. Parte dessas empresas, as chamadas Agrotechs, têm a atuação focada no desenvolvimento de tecnologias para atender o agronegócio. Para centralizar as iniciativas do estado, a Agtech conta com cerca de 45 empresas associadas, que atendem exclusivamente às demandas tecnológicas do agronegócio. Valder comenta que a vertical da ACATE promove eventos e capacitações que ocasionam debates sobre a inteligência artificial entre os empresários e profissionais catarinenses. O objetivo destes debates é aproximar o mercado tecnológico do estado com o futuro do agronegócio. "Nosso papel é fomentar esse tipo de debate e trazer especialistas do segmento para que possamos unir forças, inclusive, com outras verticais. Um exemplo é o mercado financeiro, que pode usar inteligência artificial para beneficiar o produtor rural na análise de crédito", explica. O projeto Agro 5.0 é um oferecimento de Sicoob. Acesse o canal do Agro 5.0 e fique por dentro do agronegócio catarinense!

FONTE: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/campo-e-negocios/noticia/2024/05/23/entenda-como-a-ia-pode-transformar-o-agronegocio.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes